11.3.14

2ª Edição: 1 Tema, 3 Coordenadas, 1 Posição (23)

As escolhas de:
Francisco Rocha, autor do blogue My Two Thousand Movies

Os 3 filmes que melhor transmitem a Coragem:
Le Salaire de la Peur (1953)
O Salário do Medo, Henri-Georges Clouzot

Salt of the Earth (1954)
O Sal da Terra, Herbert J. Biberman

Johnny Got His Gun (1971)
E Deram-lhe Uma Espingarda..., Dalton Trumbo

O realizador que melhor exprime a Coragem:
Cyril Collard (1957–1993)

As escolhas de:
Eduardo Rodrigues, autor do blogue EddyR Corner

Os 3 filmes que melhor revelam a Coragem:
Braveheart (1995)
O Desafio do Guerreiro, Mel Gibson

WALL·E (2008)
Andrew Stanton

Life of Pi (2012)
A Vida de Pi, Ang Lee

O realizador que melhor filma a Coragem:
Andrew Stanton
"Art is messy, art is chaos - so you need a system."

Obrigado, Francisco e Eduardo, pelas participações.
Concorda / Identifica-se com estas Posições?

9 comentários:

  1. Hello. Em primeiro lugar obrigado pelo convite, e cá estou eu para justificar as minhas escolhas.Em primeiro lugar, o realizador: Fugi um bocadinho ao tema, porque escolhi um realizador apenas com uma longa-metragem. Fi-lo de propósito, para fugir um pouco ao lugar comum de repetir realizadores. Primeiro tinha escolhido o John Huston, mas este é um tema demasiado subjectivo, então usei a minha imaginação:

    Cyrill Collard - O Cyrill Collard era um homem promíscuo. Apanhou o virus da sida, e nem por isso deixou de ter a vida sexual que tinha anteriormente. A coragem dele veio em transpor a sua vida para a tela, porque "Les Nuits Fauves" é uma transposição quase directa da sua vida pessoal para o cinema, uma auto-biografia, quase uma penitência pelos seus actos. Morreu um dia antes dos Césares de 1993 serem entregues, e o seu filme acabou por ganhar o prémio principal.

    Agora os Filmes:

    Le salaire de la peur - É o mais conhecido destes três filmes. A história de um grupo de homens, na selva da América do Sul, que tem de fazer o transporte de um carregamento de nitroglicerina sem as condições necessárias. Imaginem-se a conduzir um camião carregado de nitroglicerina num terreno super acidentado, arriscado a explodir a qualquer momento. É preciso coragem.

    Salt of the Earth - É filme claramente comunista, banido nos Estados Unidos durante anos. Fala sobre a discriminação sobre os trabalhadores mexicanos, pelo povo americano, e sobre a discriminação para com as mulheres em geral. Fala sobre a greve, e no fim, que salva a situação são as mulheres. Têm de ver o filme.

    Johnny Got His Gun - A sinopse do Imdb diz tudo: "Joe, a young American soldier, is hit by a mortar shell on the last day of World War I. He lies in a hospital bed in a fate worse than death --- a quadruple amputee who has lost his arms, legs, eyes, ears, mouth and nose. He remains conscious and able to think, thereby reliving his life through strange dreams and memories, unable to distinguish whether he is awake or dreaming.". Mas a razão que me levou a escolher este filme, não foi só esta. Foi também porque foi realizado por Dalton Trumbo (a sua única longa metragem). Trumbo vinha a ser perseguido desde a década de 50, por suspeitas de ligações ao partido comunista, e durante anos foi obrigado a trabalhar escondido em Hollywood, escrevendo argumentos com um testa de ferro. Nesse período acho que ganhou dois Óscares, mas sempre com pseudónimos diferentes. Este filme era sua obra-prima, o seu canto do cisne, e ele acabaria por morrer cinco anos depois.

    E é assim. Já sabem que se quiserem algum destes filmes digan-me que arranjo-vos link.

    Obrigado

    ResponderEliminar
  2. Só me identifico com "Braveheart", é uma escolha acertada.

    ResponderEliminar
  3. São certas para si, apenas não opiniei sobre as suas escolhas porque não conheço nem os filmes nem os realizadores. O "foi uma escolha acertada" foi um ponto de vista, disse acertada pois concordei com ela.
    Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  4. Oupa aqui estão as minhas escolhas. Já no ano passado, demorei tanto a estabelecer a minha lista, mais devido ao realizador e este ano repetiu-se. Acho que nunca consigo olhar para um realizador e dizer: "este reflecte tal tema!". Por isso começo com esta escolha no realizador. Escolhi Andrew Stanton, mais pelo seu trabalho completo e não só pelo seu trabalho como realizador, pois a sua lista nem é assim muito extensa, mas se formos a ver este senhor acabou por meter o dedo em tudo quanto é filme da pixar - forma de expressão - e todos eles apresentam e representam muitíssimo bem esta coisa da "Coragem". Achei assim por bem representar Andrew Stanton, que tinha quase a certeza estar em poucas ou até nenhumas escolhas de outros!

    Em relação aos filmes. Acho que escolhi três filmes bem conhecidos do publico que por aqui se mexe, logo pouca apresentação necessito de fazer. Só uma referencia rápida a cada um deles.

    Braveheart foi o filme que mais me marcou na minha infância. Numa altura em que a tv portuguesa nos mestrava com obras todas ou quase todas as noites e quando ainda ficava até às tantas com a minha mãe na sala a ver um belo filme, - mais eu eheh - este foi sem dúvida, de tudo o que vi, o que mais me ficou marcado na memória e penso que representa muitíssimo bem esta categoria.

    Wall-E é e acho que vai continuar a ser um dos meus filmes predilectos de animação digital. É um filme que consegue transmitir tanta coisa pelos meios mais simples que se possa imaginar. Épico e uma mostra de coragem, não só na sua história, mas também dos seus criadores, pois fizeram algo que podia não ter caído nas graças de todo o publico.

    Por fim, A Vida de Pi. O que dizer? Todo o filme é uma mostra de coragem do seu protagonista. Ang Lee fez um trabalho extraordinário em vários pontos.


    Em relação ainda às restantes escolhas deste post não me posso afirmar, pois desconheço por completo.


    Antes de terminar não podia deixar de agradecer mais uma vez pelo convite. Ainda dar os parabéns ao Caminho Largo por manter esta excelente iniciativa viva que não só junta tanta gente da bloggosfera cinematográfica, ainda dá a possibilidade a blog's menos conhecidos - o meu caso - de se mostrarem de outras formas. E por isso Parabéns e Obrigado.

    E para o ano espero poder voltar a fazer as minhas escolhas ^^

    ResponderEliminar
  5. MY ONE THOUSAND MOVIES, Obrigado nós pela participação, mais uma vez, nesta iniciativa. Quanto ao realizador escolhido por ti, achei curioso, mas não menos certo ou verdadeiro, digamos, a criatividade é aliás sempre uma característica que se quer neste tipo de iniciativas. Bem escolhido, até porque não conhecia devidamente o realizador :). De resto concordo e identifico-me, muito mesmo, com Le salaire de la peur, sendo que os outros filmes e demais informações ficam registadas.

    FREDERICO DANIEL, Sim, Braveheart é uma escolha muito acertada para este tema. Andrew Stanton já não será tanto, mas que ainda assim se adequa, creio.

    EDUARDO RODRIGUES, Gosto bastante dos três filmes que destacas, sem excepção, todos me parecem exemplificar muito bem o tema. A escolha pelo WALL·E é mesmo muito bem lembrado. Já a do Andrew Stanton não me parece tão boa, ainda que o realizador tenha no seu currículo exímios retratos que espelham a coragem. Acima de tudo, obrigado por, mais uma vez, colaborares com o Caminho Largo nesta iniciativa. É sempre um prazer.

    Cumprimentos,
    Jorge Teixeira
    Caminho Largo

    ResponderEliminar

Partilhe a sua opinião e participe no debate. Volte mais tarde e verifique as respostas para continuar a discussão. Obrigado.